Desafios são lançados a partir do 24º Congresso da CSPB

Publicado em: 4/12/2017 | 09:59

“Unicidade e os desafios que estão por vir para o movimento sindical”. Estas são as palavra para definir a sessão plenária de encerramento do 24º Congresso Nacional da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil- CSPB, na tarde desta sexta-feira (22), em Brasília. Foram mais de 600 participantes, delegações de todos os estados do país em três dias de reciclagem e palestras, a confederação fez questão de convidar os mais renomados especialistas,  nacionais e internacionais, para comentarem sobre as consequências das reformas que são implantadas contra os servidores públicos e a população.

 
Com a temática “Do Estado que temos ao Brasil que queremos”, o evento teve atividades culturais e palestras importantes sobre temas da conjuntura nacional e da realidade dos serviços e dos servidores públicos, ministradas por expressivas e notáveis autoridades nestes assuntos, tais como o professor e economista Márcio Pochmann; o procurador do Ministério Público do Trabalho, Francisco Gerson;  a coordenadora de estudos sindicais da Faculdade de Direito da UFMG, Dra. Sarah Campos, o pesquisador sobre Cerrado, Dr. Pedro Wilson; o pesquisador sobre o mundo do trabalho, Dr. José Reginaldo Inácio; o presidente da Clate, Júlio Fuentes, o especialista em negociação coletiva no setor público, Dr. Florivaldo Dutra, além dos senadores Paulo Paim e Anastasia, do dep. Roberto de Lucena e magistrados .
​O presidente da CSPB avaliou o evento: “Superou  todas as expectativas e com fortalecimento do movimento poderemos vencer a fase que vivemos. Ele agradeceu todas as centrais que ajudaram da forma que puderam e mostramos para o Brasil a força e estão preparados para a luta. Domingos apontou, também, os caminhos para o fortalecimento do movimento sindical.  “O sindicalismo precisa se renovar e trabalhar não apenas para atender aos interesses das categorias que defendem, mas, também, para a uma significativa transformação social que beneficie toda sociedade”, concluiu.

João Domingos dedicou sua fala final a agradecimentos. “Primeiro, a Deus,os funcionários que foram homenageados um por um, colaboradores e a todos que souberam ver a importância da CSPB e a credibilidade que a confederação tem nos três poderes Judiciário, executivo e legislativo.” E que a luta nunca acaba e que sempre necessário mais força! Finalizou.

 O presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores, José Calixto Ramos, e os representantes das  das centrais que faziam parte da mesa, parabenizaram pelo evento e desejaram êxito à nova diretoria eleita que se comprometeram com a unidade de luta para poder vencer esse período de reformas institucionais. “Temos uma grande responsabilidade junto ao povo brasileiro e aos nossos representados. Nestes três dias, reavivamos nossa luta e resistência, mobilizando a nossa categoria contra as reformas, reafirmando os princípios da sindical, que jamais renunciará as conquistas da classe trabalhadora”, disse calixto. Os  dirigentes também ressaltaram o importância do tema escolhido pela CSPB para o debate, não apenas para o momento, como para a história sindical que passa por uma renovação.
 

COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.